Foi há 16 anos !

É verdade… foi mesmo há muito tempo, ainda me das lágrimas nos olhos tal e qual quando o meu avô faleceu mas, este ídolo, não era o meu avô.

Morreu num acidente violento, à frente de milhões que o viam, uma vez mais em primeiro lugar, naquele que ainda hoje é o desporto rei do mundo automobilistico. Disse a todos que não achava bem conduzir, tinha um presentimento, uma vez que no dia anterior um outro piloto faleceu ali mesmo, o austríaco Roland Ratzenberger, mas era, acima de tudo um profissional e ao sinal de partida estava dentro do monolugar da Williams, que, se alguem se recordasse, era o melhor monolugar daquele tempo.

Não foi preciso muito para que numa falha mecânica, embatesse violentamente na curva Tamborelo no circuito Italiano de Ímola, foi assim que Ayrton Senna da Silva faleceu, foi assim que o vi, foi assim que o chorei.

Ayrton Senna da Silva
Ayrton Senna da Silva

16 anos é muito tempo! Uma eternidade se olharmos para este tempo todo e vimos que mais ninguém até hoje tem a magia e o brilho do meu ídolo! Ídolo não só de corridas, mas também da maneira de viver, da maneira como via o mundo, os amigos, os que mais precisavam.

Temas como “nós somos capazes de tudo se nos esforçamos para isso” ou “deve-se aprender com os erros e aperfeiçoar”, devo muito ao que aprendi com ele, e é com essa força que vim para este país e aqui continuo.

Não me esqueço de nada, lembro-me de quase tudo, desde a sua primeira vitória ao volante de um Lotus preto no circuito do Estoril (Portugal), às peripécias com Mansel e Prost…

Como “irmão” Brasileiro diz: “ele é espetáculo” !

Ayrton, obrigado pelos fantásticos Domingos à frente da TV! Obrigado por força e garra, obrigado por seres como foste. Um dia, aí em cima dou-te um abraço bem forte!

3 dias depois

Apenas para vos deixar uma mensagem de como ando depois do meu acidente com o fogo…

Isto dói para caraças! então no braço é o pior… no joelho lá ando de bermudas “arregaçadas” para cima e ando bem… a coxear para que não me aleije muito, mas lá vai indo, na cara começaram as comichões em redor da ferida 😦

Como vêm, tou que nem Frankenstein

Frankenstein
Frankenstein

Não vou por imagens do joelho pois ainda posso parecer que estou a promover área do corpo 😛 (ehehheh)

Visto bem as coisas e refletindo no que se passou… tive muita sorte! 🙂

0 – 2

Ainda não foi desta!

A S. ainda lá tentou, conta-nos que se esmerou, mas quando a mandaram estacionar na perpendicular … para trás… não deu com a coisa, e o policia (aqui o examinador final é um policia), lá lhe negou a carta de condução pela 2ª vez

Eu fiquei contente! Menos um assassino na estrada (eheheh), menos poluição, poupa-se nos seguros, gasolina, pneus, etc… e não se compra um carro! Aqui como sabem, o IA (e só o IA) são 180%, fora o IVA (25%) e o resto…

Agora a cabeça da S. está virada para encontrar um novo emprego, algo que goste mais de fazer do que faz correntemente, algo que a cative quando se levanta da cama todos os dias para ir trabalhar.

A ver vamos…

claro que, como sou boa pessoa, nunca me chateio com estas coisas, pois sempre acreditei que as coisas acontecem porque têm de acontecer, e assim sendo ofereci um novo portatil à S. com a tampa vermelha e tudo, tal como ela adora!

é um portatil de 9 polegadas, bem pequenininho que dá para andar com ela para todo o lado, tem camara web para falar com os meus sogros, e assim pode ver videos na cama, pois como regra não temos tv nos quartos 🙂

DELL mini 9
o novo DELL mini 9 da S.

a crise europeia atacou-me!

Apesar de não se sentir em quase nada, a não ser em despedimentos em massa de grandes empresas como é o caso da TDC (a Portugal Telecom cá do sitio) que despediu 600 empregados, a Telia/Sonara (a maior operadora de telemóvel na Escandinávia e 4ª no mundo) que despediu 400 empregados, o Saxo Bank (um dos maiores bancos mundiais em termos de mercado accionista) que despediu 400 empregados também… e claro, a empresa onde trabalhava que despediu todos os empregados excepto 2 (um que trabalha a part-time e outro que entrou à pouco tempo) – e que eu acho que ficaram pois são os que menos salário recebem.

Ou seja, voltei ao desemprego, que, desde dia 8 de Outubro estou em casa (o ordenado é pago na totalidade até 31 de Outubro), e já decidi, pois desta vez estou preparado e sei o que vou ganhar com o subsídio de desemprego, e assim sendo vou à Roménia por 10 dias (de 8 a 18 de Novembro) acabar o que comecei há 2 anos! afim de ter um sorriso lindo 🙂

Depois disso logo me dedico à procura de emprego, e já estou mesmo a ver… contar a história do “porquê a Dinamarca” vezes sem conta 😦

a S. continua muito bem no emprego dela, é a maior empresa na Dinamarca no ramo, e apesar de ter despedido, não por causa de crise mas por reestruturação de quadros 3 pessoas, nada está a pressionar o lugar da S. e o patrão já lhe disse que adora o trabalho dela 🙂

Quanto à C. bem… é uma maravilha, dorme a noite toda, come imensamente bem, acordo com ela e levo-a todos os dias ao infantário a comportar-se como gente crescida, à tarde vou a buscar e fico com ela a brincar até a mãe chegar, altura em que dividimos tarefas entre o ficar com a C. e fazer o jantar, continua a dizer Hej (olá) e hej hej (adeus) muito bem – o “j” é uma vogal é tem o valor de í, por isso o HEJ diz-se no nosso português “aí”.

 

na praça central em Køge
na praça central em Køge

 

 

Com mais tempo em casa, o chão da entrada ficou pronto e 2 dias, e já estamos a ver apartamentos (Ejerlejlighed) e vivendas geminadas (Rækkehus) a cerca de 20Km da capital pois como sabem estamos a 60km 😀 e assim ficamos com tudo mais próximo, poupa-se algum dinheiro em transportes, há mais tempo para esta em familia, uma vez que os empregos são maioritariamente na capital leva-se menos tempo até a casa 🙂

O pópó novo anda muitíssimo bem, sendo um 1600cc a gasolina, ando a fazer médias de 6,5l/100km (é bom ter computador de bordo), é muito giro falar ao telélé com o acessório bluetooth mãos livres, e no final deste mês já vou mudar os pneus para os de inverno, que cá tenho guardados da Espace (foi bom ter comprado um Renault, assim os parafusos dos pneus são iguais – também escolhi já a cotar com isso) 😉

Tirando o perder o emprego, mas logo logo encontro outro, nem que seja a ordenhar vacas (eheheh) tudo corre às mil maravilhas!

Primeiro aniversário

já passaram 3 semanas e eu ainda não disse nem aí nem ui sobre este fantástico evento… mas fica a explicação para o final.

25 de Agosto de 2008… já sem a madrinha, padrinho e sogra ca em casa (a madrinha precisava mesmo de trabalhar e voltou à Roménia na 5ª feira, senão só dali a 2 semanas, e ficar depois cá em casa sozinha à espera das 17h que é a hora que chegamos a casa com a C. não era nada bom), mas estava cá o meu pai e namorada e contávamos com uma enchente de gente para a festa que começava por volta das 16h.

De manha lá fui levar a C. no infantário com uma tarte de maça feita pela S. na noite anterior, para que pudessem celebrar o aniversário, e darmos uma de bons cidadãos. Levei a C. ao infantário para termos tempo de organizar a casa, e eu ainda fui ao IKEA comprar uns apetrechos para a festa… o bolo? já estava em casa desde o dia anterior pois a pastelaria fecha às 2ªs feiras.

o Bolo
o Bolo, com mensagem de parabéns em Português e Romeno

Depois de deixar o meu pai a encher balões em casa, a S. e a Z. a prepararem os comes e bebes, lá cheguei eu com as bebidas para todos, e por volta das 16h depois de já ter ido buscar a aniversariante ao infantário, começaram a chegar as pessoas…

foram num total de cerca de 40 pessoas que adoraram a comida, tinhamos enchidos trazidos pelo meu pai de PT, salchichas de cá e carne no churrasco, muita bebida e cerveja fresquinha, dentro de casa tinhamos mousse de chocolate com nozes, tarde de maça, pudim flan, salada, salada de batatas, e até pasteis de bacalhau feitos pela Z. 🙂 Obrigado Z. estavam óptimos!

O homem das salchichas
O homem das salsichas, o meu pai! 🙂

Como podem ver pela imagem em cima, o pai fartou-se de dar ao braço! depois de ter enchido os balões todos teve de se dedicar ao fogareiro 🙂

Prendas:

foram muitas, e boas… todas brinquedos e roupa claro 🙂
o J. e a namorada, a S. ofereceram o que mais ela gosta de brincar, um carro da Disney que ela adora de se sentar e andar nele para trás e para a frente, recebeu também um triciclo mas ainda não chega com os pés aos pedais 😀 muita roupinha, bonecos novos, balde com acessórios para a praia, um castelo enorme que ela adora de lá ir para dentro e um sofá também da mesma marca do carrinho, da Disney.

foi um dia muito bom para todos, depois de editar o vídeo com os parabéns cantados, coloco aqui para verem as pessoas e como se canta os parabéns em 3 línguas 🙂

A mesa de guloseimas
A mesa de guloseimas

para mais algumas fotos do aniversário, vejam aqui directamente no FlickR.

Ausência

Ora agora a explicação da minha ausência…
desde o dia de aniversário da C. que até hoje (3 semanas depois) não fui trabalhar… bem, no dia seguinte eu mandei um SMS a dzer que precisava de descansar pois foi uma semana exaustiva, no dia seguinte eu ainda tentei ir ao emprego, mas ia desmaiando no comboio e cheguei ao emprego completamente branco, sem qualquer cor na cara, e disseram-me logo para voltar para casa, eu não fui logo pois tinha receio de desmaiar mesmo no comboio à ida para casa, pelo que lá fiquei até às 15h, desde então tenho ido ao médico onde fiz análises ao sangue e à urina e até hoje só sabem que é um vírus… não sabe qual é nem o que se trata, por isso não tenho qualquer medicação pois não querem me dar nada que possa fazer pior.

foram 2 semanas de febre constante, de suores, de dormir mal à noite, de falta de apetite, de fraquesa, de… sei lá, tudo e mais alguma coisa. Hoje já me sinto melhorzinho, mas não a 100% daí o escrever algumas linhas sobre o aniversário da C.

“a ver vamos, como diz o cego” em relação ao que tenho… espero que passe, espero que fique bem depressa pois não consigo nem ajudar no que ajudava cá em casa, e sinto que a S. bem precisa da minha ajuda.

temos pópó novo!

é oficial!

temos pópó novo! 😀

comprámos na 3a feira passada mas só hoje o fui buscar, é tão recente que ainda só tenho as fotos do stand, ainda não tirámos nenhuma pois vim directamente para o emprego… de pópó novo 😀

aqui no emprego dizem que foi uma boa compra, não vos vou dizer o preço pois não se pode comparar os preços com os de PT uma vez que aqui, só de imposto automovel são 180% do valor do carro… mais 25% de Iva… mais… estão a imaginar não é!?

como não se pode ter carro com matricula estrangeira por mais de 6 meses (pelo menos é o que diz a lei, eu sempre tive mais e nunca ninguem me mandou parar para confirmar), mas como a nossa vida agora é cá, queremos nos intregar da melhor maneira possivél e nada como ter carro “nacional” 😉

deixo-vos os detalhes técnicos:

Renault Laguna Break 1.6 110cv, Verde escuro metalizado de Maio de 2002
tem:

  • ar condicionado manual
  • faróis de berma
  • bancos frontais aquecidos
  • computador de bordo
  • 4 vidros electricos
  • isofix
  • cartão de arranque (depois de meter o cartão na ranhura é só carregar no botão START para arrancar)
  • Radio com leitor de CD integrado
  • controlo da pressão de pneus
  • fecho centralizado de portas

e alem disso trazia tambem, não da Renault

  • caixa top de 580 litros (como se vê nas fotos)
  • 4 pneus de inverno (aqui é quase obrigatório ter pneus de inverno por causa da neve – eu já tinha da Espace, mas fico com mais 4)
  • Instalação de um acessório da Sony Ericsson para ligar telemóveis Bluetooth e falar em mãos livres

Nós gostámos muito, e era um dos carros que quando começámos a ver carros estava na lista de usados que deveriamos de adquirir, a minha opinião pessoal é que o carro só peca por não trazer Cruise Control, se o troxesse era 5 estrelas 😉 mas… é 4,95 estrelas 😛

ficam as fotos do stand:

quanto ao termos de comprar carro, aos que lêm regularmente o blogue sabem que nós tinhamos a Renault Espace na qual viemos para a Dinamarca mas bateram-me num cruzamento e o que o seguro me deu por ela deu apenas para pagar o que devia ao crédito e ainda para comprar passagem para Lisboa afim de trazer o meu Ford Escort Station 1.4 de 1991 (que comprei a um stand por 500 Euros). Vim com ele desde Lisboa a casa, e 2 semanas depois de cá estar tive o “infeliz” pensamento que num estacionamento a S. o podesse conduzir já que o objectivo seria que o Ford era para ela… bem, ficámos com um “zarolho”! (creio que a “maldição” do dia 28 também ajudou) e assim, não o podia levar de novo a Portugal agora no natal e a continuação aqui nas estradas dinamarquesas estava “pressa” pela simpatia dos agentes de polícia quando me mandassem parar.

Daí o termos a necessidade de adquirir até ao Natal uma “nova” viatura, e juntámos o útil ao agradável e comprámos antes de termos a familia aqui para o BAptisado e Aniversário da C. assim dá para irmos todos (nos 2 carros) passear e visitar toda a ilha onde vivemos (Zelândia).

P.S. a adquisição do carro agora deve-se à ajuda de um grande amigo, o J. Obrigado J.!