05. a viagem (bélgica e holanda)


Na Bélgica apenas vimos casas ao longe pois a auto-estrada que segue para Antuérpia (Awerpen), fica longe das cidades, e tudo o que vimos foram quintas com cavalos… Eu estava convencido que os belgas falavam francês, mas estava redondamente enganado, mais parece-se com alemão que francês… Em apenas alguns minutos estávamos a entrar na Holanda e nem reparei pois ao contrário de todas as fronteiras por onde passamos não havia sequer uma tabuleta a indicar-nos que estávamos noutro pais, apenas uma placa com as estrelas comunitárias a dizer que a Holanda (The Netherland – Pais Baixo), estava a 1km.

Pais Baixo… e é mesmo verdade, não existe um monte, uma serra, um altinho sequer, apenas se sobe para passar um canal pela ponte, e tal como o aeroporto francês aqui também se usa passar por baixo do rio em vez de por cima.

Todo o mundo tem e anda de bicicleta, existem ruas, espaços e vias apenas para as bicicletas, em todos os lugares existe um parque para bicicletas e são maiores junto ás estações de metro, tal como nós temos para os carros (e tão poucos a usam). As casas aqui são imensamente esqusitas devido ao facto de as janelas serem enormes e não serem cobertas com algo, nem uma cortinazinha sequer, só alguns usam a persiana. Vê-se tudo lá para dentro, não creio que consegui-se estar assim tão exposto tão facilmente. Nota-se a diferença de mentalidades, são mais pelos outros, ninguém rouba a bicicleta de ninguém mesmo estando esta sem cadeado, a estrada por onde chegámos a Roterdão (Rotterdam) tinha 4 vias e as 3 mais à direita estavam cheias de trânsito, a 4a faixa era usada de vez em quando por ou outro automóvel, foi engraçado ver a estrada a ser usada como mandam as regras, ‘o mais à direita possível’ e não como nós costumamos usar. Todos falam inglês (sorte a minha), a TV passa filmes legendados, os preços são muito mais baratos que os nossos, desde a comida até à informática, apenas os telemóveis são parecidos nos preços.

Até aqui não vi qualquer floco de neve, apesar de estar frio, existem muitos espaços verdes com muitos lagos, patos, aves, e alguns lagos têm uma parte coberta de gelo, é muito engraçado lançar uma pedra ou um pau e ele não afundar, dá mesmo vontade de tentar chegar à outra margem sem nos molhar.

[em cima: o lago semi-congelado que tinhamos
mesmo em frente à casa onde ficámos]

Pelo que me contaram, a policia (politie) pode entrar em casa sem consentimento de ninguém, basta para isso ter suspeitas de ilegalidades, se quisermos ter cão temos de adquirir uma licença e pagar uma taxa (com o dinheiro da taxa devem de pagar a alguém para limpar o que os animais sujam nos jardins públicos, is contrariamente ao nosso pais aqui não se tem de apanhar nada).

Descobrimos um cybercafé ao qual pagamos 1 euro por 60 minutos de navegação onde nos conectámos ao site CouchSurfing.com e voltámos a procurar por alguém que nos podesse dar a mais pequena ajuda em encontrar um apartamento em Copenhaga, e lá encontrámos uma alma caridosa que nos vai receber na 2a feira e ficaremos com ela até 5a onde até lá e com a sua ajuda tentaremos encontrar algo mais estável. Aproveitei também a oportunidade de refilar com a Vodafone PT pois fiquei muito descontente com o serviço por eles prestado em relação à activação do serviço Travel e por conseguinte ao valor cobrado pelo simples telefonema para a linha de apoio ao cliente (3:07 = mais de 5 euros).

One thought on “05. a viagem (bélgica e holanda)

  1. Gostei do texto, da descrição? Lembrei-me das vezes que estive na Alemanha, o comportamento, é semelhante. As bicicletas, era vê-las em todos os locais. Nos interfaces de transportes, então nem se fala? Bicicletas todas arrumadas e a maioria nem correntes de segurança tinham.
    Os silêncios e os horizontes, vão deixar-te respirar e fazer crescer os teus projectos.
    Sei que vais gostar. Sei que vou sentir-me feliz! Encontras-te alguém a quem dar a mão e a outra mão, está sedenta do teu apoio incondicional. Sei que sabes que a vida a dois não é fácil, mas sei que depois, vais seres super feliz e, é fantástico ser-se um pai que pode ser pai.
    Daqui, luto e penso sempre em vós.
    FORÇA, sei que merecem e vão conseguir.

    ?Deus dá os maiores desafios a quem tem mais firmeza de carácter?

    (o meu melhor abraço: jorgelopes)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s