a casa nova

venho por este meio dizer-vos que…

COMPRÁMOS UMA CASA !!!!

eheheheh, estamos todos contentes ~:-)
(hoje tive a confirmação que tanto esperava, o banco empresta-nos o dinheiro na sua totalidade, agora só falta assinar a papelada)

dados da habitação:

Construção: 1918 (não se preocupem com a data, aqui são todas assim, e na capital a maior parte delas são de 1880 a 1910)
Ultima renovação: 1981
Tipo: vivenda
Area da casa: 100 m2
Area do terreno: 860 m2
Composição:
casa (piso 0): 1 sala, 1 cozinha, 1 wc
casa (piso 1): 4 quartos
anexo 1: 1 casa de máquinas, 1 arrecadação (enorme)
anexo 2: em madeira, apenas para guardar ferramenta
– garagem: para um carro
Morada:
– Æblevej 3, 4671 Strøby – Danmark
> æblevej lê-se ‘éblevai’ e quer dizer ‘rua das maças’
GPS:
Lat.
55.3831
Long. 12.2829

fotografias (não tiradas por mim, estas são as que estão no site da DanBolig):

nesta página em cima, cliquem em “360 grader” para verem imagens em 360 graus (depois têm de clicar numa das 6 imagens que aparecem… espero que seja do vosso agrado, tanto como é do nosso!

fotografias originais só quando regulamentar-mos a papelada.

as novidades da cara metade

acreditem ou não, eu tenho cá em casa uma mulher “do caraças”!
já me vai a todo o lado a falar dinamarques no seu mais alto nivel, faz compras e pergunta se as coisas são do dia ou não, se por acaso não lhe podem cortar as coisas se sabem os estãoas aqueles sabonetes perciosos e com recheio a creme, pois que isto de ser mulher já entendi que podem passar sem comer muito, mas cremes não podem faltar, e não é só um como eu uso, não… isso assim não é como deve de ser, há que ter um creme especifico para cada parte do corpo! mas o que vale, é que ainda não inventaram o creme para a mão direita e o para a mão esquerda, ufff… senão um quarto era só para por cremes 🙂

[foto à esq.: a S. num dos seus passeios culturais]

pois é, mas a S. está francamente bem, passou ontem para o nivel 4 (na escola só há 5 niveis) 6 meses depois de ter começado as aulas de dinamrques, e ainda tem o desclambre de dizer… “ahhh aquela coisa foi muito fácil!” bolas! tenho mm de começar a ir eu às aulas (pois porque só lá fui 6 vezes, saio daqui cançado, com dores de olhos por estar tanto tempo a olhar para o monitor, enfim… desculpas masculinas se calhar).

quanto ao bébé, lá vamos continuando a experimentar e a testar a coisa, mas a cegonha diz que as encomendas não podem mesmo ser entregues, por isso só temos que ir continuando a experimentar.

a S. arranja amigos facilmente e todos a adoram, no outro dia fomos com um casal (ele dinamarques, ela turca) passear a Køge (lê-se cu-ê, porque o ‘g’ nunca se lê), e foi muito bom, sempre com o ingles, algumas palavras dinamarquesas pelo meio, pois porque lá por ela saber o significado de quase tudo… eu não! só sei as básicas (bom dia, boa tarde, boa noite, como estás, até amanha, vejo-te 2ª feira, etc…)

enfim, tudo nos corre às mil maravilhas, e só espero que continue assim.

Compra de casa

em primeira mão digo-vos que amanha vamos ver 2 casas que poderam ser a nossa futura casa própria!

a compra de uma habitação própria sempre foi e ainda hoje é, o sonho de qualquer pessoa (vá lá, eu sei que há excepções, mas generalizando a coisa, ok?) em Portugal eu cheguei a comprar um apartamento em Odivelas com a então namorada, um ano depois a coisa não deu certo e a vida continua, mas o importante da coisa e deste tópico é mesmo a aquisição de tal imóvel.

lembro de andarmos à procura de “algo” e deparamo-nos numa casa na qual ligámos para as pessoas, visitámos a casa, gostámos e dirigimo-nos ao nosso balcão bancário para pedir o empréstimo… lá correu tudo bem, e … já está. (de salientar que comprámos a casa a particulares e não por empresa imobiliária)

aqui a coisa é diferente, ninguem compra a uma pessoa particular, aqui sempre nos é ensinado: “As imobiliárias existem, para alguma coisa deve de ser!” e assim é, as imobiliárias aqui tem um papel fundamental na venda de imóveis, e neste país existem 3 grandes Danbolig, Home e NyBolig.

(por um paragrafo, vou-vos colocar no papel de vender a casa)
é necessário que se peça à Komune (camara municipal) uma vistoria à casa afim de eles criarem um relatório de venda que explica as condições da casa, os aparelhos electrónicos e electricos, os gastos anuais com a mesma em relação a gás, óleo, água e electricidade, se existem energias alternativas, as condições do telhado, soalho, etc etc etc… isto tudo é criado antes da venda do imóvel.

assim sendo, ao “ver casas” temos acesso gratuito a este relatório, o que sinceramente é, simplesmente fantástico!

Então como se desenrola o empréstimo?

bem, o empréstimo é dividido em 3 partes, 80, 15 e 5 por cento do valor da casa, os 80% são dados por uma das duas companhias de créedito habitação existentes no país, e como é um crédito habitação a taxa de juro é a mais baixa, neste momento ronda os 5 pontos percentuais, depois dos restantes 20%, 15% são pedidos ao banco com uma taxa um pouco acima da do crédito, pois é um empréstimo habitação pelo Banco, neste momento ronta os sete pontos e meio, e os restantes 5% são pagos na à cabeça, ou seja, é o montante de entrada, que pode ser pedido ao banco tambem mas este empréstimo terá uma taxa de juro elevado pois se situará como empréstimo pessoal.

as casas não são caras (ao contrário de que muitos dizem e batem o pé pois acham este pais uma autentica exploração em termos de preços), mas aqui não existe, como em Portugal, a chamada crise económica! ou seja, crédito habitação só 80% e no máximo de 30 anos!!!

o que andamos a pesquisar no mercado são vivendas de valor até 2 milhões de coroas (cerca de 270.000 Euros) e com tudo pago (água, luz, aquecimento, etc) ronda os 11.000 dkk mensais (cerca de 1450 Euros) o que em Portugal é um balurdio, mas … ao fim de 30 anos a casa é nossa, não ao fim de 70 !!!!

se por acaso virem um dos sites acima, reparam que existem 2 preços mensais, o bruto e o netto, o bruto é quanto devemos de pagar ao banco (apesar de sempre várias empresas o banco trata de tudo) mas é o valor Netto que pagamos do bolso, pois o estado encarrega-se de pagar parte dos juros!

“e esta hei?”

Socialização empresarial

[foto em cima: Montagem de 8 imagens separadas da Noruega (cliquem para ver o tamanho normal]

desde o meu inicio de actividade laboral (uns meros 16/17 anos) que sempre ouvi dizer e sempre me ensinaram que era a melhor prática empreserial para com a empresa e colegas: “Quando entras no teu emprego, os teus problemas fica à porta” (já certamente ouviram isto…)

aqui não se ensina nada disso, bem pelo contrário, “se tens um problema, o teu patrão é o primeiro a tentar ajudar-te”, e claro, socializar com os colegas de empresa é bem diferente da “socialização” por terras Lusas, aqui vamos almoçar todos de vez em quando, vamos a paitball’s, corridas de karting, cruzeiros… pois é, Cruzeiros!

tive a oportunidade de neste fim de semana passar 2 dias num cruzeiro Copenhaga-Oslo-Copenhaga, saída sexta feira às 17h chegada às 09.15h a Oslo, saida de Oslo às 17h e chegada a Copenhaga às 9.15h.

Conclusão: Não me vão ver tão depressa num “barco” !

o “barquinho” é grande, sem duvida (não tão grande como o que fui em 2001 durante 4 dias pelo Mediterrâneo) aquilo de certo que não vira, mas… faltou pouco no regresso a Copenhaga, BOLAS! até os “garçons” tinham de ser artistas de circo para conseguir levar tudo nas mãos e ainda equilibrarem-se nos altos e baixos que a tempestade lá fora fazia ao barco…

[foto em cima: Crown of Scandinavia, da DFDS Seaways]

no inicio até foi giro, mas como tinha pensado, foi aborrecido, tudo fala esta lingua esquesita e sendo eu uma pessoa matinal, logo por volta das 22h30 me dá o sono e só quero a minha cama, depois toda a gente aqui gosta de beber mais do que o limite legalmente propicio a uma conversa animada, e eu não gosto de bebidas alcoolicas, e claro quando acordo (lá para as 6h30) ninguem está acordado!

enfim, foi engraçado, tirei muitas fotografias, pena a minha esposa não tenha podido ter ido, e tirando a tempestade que deitado na cama me fazia ficar com o coração ao saltos, é muito bonita a viagem (mas só quando se chega à Noruega)…

[foto em cima: uma Ilha mesmo à entrada de Oslo]

ahhh a Noruega, que país fantástico, cheio de montes, rios, serras, montanhas, verde e mais verde, neve e mais neve, desfiladeiros que nem nos “states” existe, sem duvida que é um país que quero perder mais tempo e com mellhor companhia. Oslo é uma cidade pacata, cheia de Noruegueses… e Norueguesas, do melhor que já vi 😉

para quem gosta de história, toda a Escandinávia é um paraiso, pois tem ligações com toda a europa e até a Rússia (os Czars), os reis de cada pais nordico são primos uns dos outros, é tudo muito bonito. Vale a pena!