"OK Teleseguro, fala a Marta"

[update de fotos] (4 de Abril de 2007)

foi hoje à Renault verificar como estava o caso do seguro, e deu para ver melhor como ficou o carro… o arranjo anda na casa dos kr. 65.000,00 (8.700 €), vamos lá ver o que é que a seguradora do que me bateu diz…

para verem como ficou o meu popó 😦

costuma-se dizer que só acontece a quem anda na estrada, e quem anda nela, acidentes acontecem!

foi o meu caso, depois de um dia de trabalho, de depois das 18h ainda ter ficado no emprego a jogar um bocadinho, fazendo tempo para que pudesse às 23.30 ir buscar a S. ao emprego e assim irmos os dois (a minha hora de saída é às 17h), e acontece! 😦

a S. disse-me ao telefone para ir para casa pois precisava de descansar (é que ando cheio de sono pois fico à espera dela para a ir buscar à estação de comboios – é que o último autocarro saí da estação às 22.17 e ela costuma chegar entre as 01.00 e as 02.00), e então eu disse: “Sim, tens razão, vou comer e depois vou-me deitar que estou cheio de sono”, e assim foi.

toca-me a meter no popó e não andando a mais de 85 Km/h na auto estrada (assim consigo fazer médias de 6.5 litros aos 100km) lá fui eu todo contente a cantar as canções que passavam na rádio.

chegando à hora de sair da AE, pisca para a direita, saío, pisca para a esquerda em direcção a Køge e assim que estou à acabar a ponte (passando para o lado oposto de onde estava na AE) não é que um FILHO DA MÃE (Fiat Punto azul) passa o sinal de perca de prioridade que tem na sua saída da AE a toda a velocidade !!! Eu bem meti o pé no travão, o ABS funcionou direitinho, mas… estava demasiado perto… foi demasiado rápido para fazer mais! PUM !!!

acidentelá fiquei com o meu querido popó no estado que vêm na imagem, e o sacana, ou foi impressão minha ou estava-se para pirar e eu com um olhar meio fusco ainda tentei tirar a matricula, mas qual quê… o que vale é que pararam mais veiculos e ele lá parou e saio do carro (pois a minha tática é nunca sair do carro! assim eles pensam que estou muito mal e não me posso mexer, e vêm logo) 😉

toca a ligar à “Marta” e claro, já sabia, que por estar tanto tempo fora de PT que a assistencia em viagem não é paga pela seguradora mas sim pelo meu bolso (mais de 60 dias fora, é o que está estipulado no contrato), e deram-me o telefone da companhia daqui e amanha vou lhes ligar para levarem o carro à Renault!

[foto em cima: eu a verde, ele a vermelho;
a laranja: a auto estrada, a amarelo: estrada secundária]

a policia lá veio, pois pedi ao outro para a chamar (demorou 6 minutos!), não tirei o carro “do meio da rua” até a policia chegar, eles foram 5 estrelas, depois ajudaram-me a meter o carro na berma, pois não anda! colocaram uma fita vermelha para que se saiba que a policia está ao corrente deste acidente, depois de falarem com o outro rapaz deram-me os contactos dele, explicaram-me como pedir o auto do acidente e ainda me levaram à estação de comboio para poder apanhar o último autocarro e vir para casa, de onde, em primeira mão vos escrevo este tópico.

enfim, coisas de andar na estrada, e o problema é que agora a S. não tem como ir da estação de comboio até casa (são cerca de 12 Km) a não ser de taxi ou de bicicleta, o que o primeiro é demasiado caro e o segundo é demasiado cansativo 😦

estou muito triste por causa disso, o carro acaba-se por arranjar mais cedo ou mais tarde, mas a S. … :o(

Festa Portuguesa

já em Novembro vos tinha contacto que o Embaixador Português desta cidade fazia regularmente uma festa Portuguesa, na qual até fiquei contente pois era uma maneira de estar em contacto com os “da nossa terra” neste país de língua esquisita 🙂

fiquei agora a saber que alem do Embaixador também existe um café que todos os anos faz uma festa Portuguesa com um prato nacional e acaba por ser um bom convívio para falarmos de nós e ouvir as histórias dos outros, a pergunta da praxe é “és de onde? estudas ou trabalhas aqui? eu sou de XXX, conheces?” 🙂

então este Sábado o café Golban organizou esta festa, com o prato nacional escolhido o nosso famoso Bacalhau à Brás (que de bacalhau não vi, mas tinha o cheiro dele) e estive com o J. e 2 amigas dele assim como algumas pessoas que já conhecia do almoço em Novembro na Embaixada.

os amigostenho de dizer que já tinha saudades de falar tanto com tantas caras novas, de “meter a conversa em dia” na nossa língua, de conhecer novas pessoas, de estar… “entre os nossos” !

a ida à festa:
depois de deixar a S. no emprego às 17h lá segui eu para casa do J. mas a chegar ao Tivoli recebi um sms do J. a dizer que estava em Nøreport Station num cafezito, boa! antes de chegar a casa dele 🙂 assim não perdi muito tempo (é o que dá querer aparecer sei avisar primeiro), mas lá me meti pela cidade, aquelas ruinhas engraçadas e só dizia para os meus botões, a estação deve de ser por aqui, acho que é a estação antes de Østerbro Station e essa fica na saída da cidade, esta tem ser ser por aqui… e pensava de vez enquanto, tenho de perguntar a alguém, mas se encontrar um mapa da cidade não vale a pena… (homens!)
num cruzamento disse para mim, nahhh, tem de ser por aqui! e não é que no final da rua tinha “Nøreport station” em letras grandes, eheheh. acho que tenho um GPS activo na cabeça! 😛

lá me encontrei com o J. e voltá-mos ao GPS para descobrir o café, pois… ninguém se lembrou de trazer nem a morada, nem o papel do convite, pois o J. pensava que eu tinha e eu pensava que em casa dele dava para procurar na Net … enfim…

festa Portuguesadepois de andarmos 10 minutos à procura de um café assim por cabeça porque o J. dizia que era por ali, pois lembrava-se vagamente do mapa que viu… vagamente, era mesmo vagamente pois desisti de procurar uma coisa que eu nem sabia para onde era e lembrei-me de ligar à D. que nos facultou a morada do dito café e voilá, com a ajuda de um mapa da cidade (daqueles que estão nas estradas por detrás de publicidade), em 3 minutos estava-mos na porta do café (fomos os primeiros a chegar!!!) mas depressa chegaram todos e a festa começou 🙂

P.S.
P.S. coitaditos dos Belgas… eles ainda pensaram que podiam ganhar à “relva” mecânica (relva do nosso verde, o vermelho não sei que possa ser chamado) 🙂
P.S.S. Alterei o banner de topo com imagens da Dinamarca, para se sentirem mais dentro do país 😉

olá Catarina

hoje o dia foi exaustivo até às 13.30, hora em que fui pela primeira vez à Ecografia do nosso bebé.

de salientar que até ao fim do mês estou quase de férias, pois os dois patrões estão na Tailândia em trabalho e eu cá tenho de me fazer à vida sozinho (mas que grande chatice, estão mesmo a ver não é?) 🙂

às 12.30 lá me meti no popó e com a morada do hospital de Roskilde no GPS lá depressa dei com a coisa, mas como meti o numero da porta errado andei aos papeis pois a rua é daquelas ruas que têm quase 20 km de extensão e quando parei à frente da estação de comboios para ligar à S. ela estava mesmo a chegar à minha frente (timimng fantástico), e logo dei com o Hospital.

ao entrar no Hospital, fomos ao edifício das Eco’s… qual hospital? aquilo parece entrada de cinema! com um cafézinho muito arranjadinho, um espaço onde se pode comprar flores e guloseimas, tudo muito bonitinho que até nos parece mal andar com os sapatos calcados !

chegado ao andar certo, disseram para esperar na salinha de espera… qual salinha de espera? aquilo parece lá em casa! (sem obras) até bolachas e sumos num jarro tinha-mos para nos servir sem precisar de pagarmos rigorosamente nada, e claro a televisão e as revistas todas organizadas! Bolas, quando é que temos algo assim em PT?

depois de 3 minutos à espera, lá nos chamaram … sim 3 minutos, não foi 2 horas 😛
uma sala enorme (comprida) com uma máquia toda sofisticadissima, digo isto porque era enorme e cheia de botões e ecrãs 🙂

depois do gel maravilha na barriga lá vi pela 1ª vez o bebé … tão bonitinho, a chuchar o dedo e a dar pontapés 😀
depois dá-nos aquela coisa e ficamos a matutar… como é que uma coisinha tão grande como nós é tão pequenininha e com o coraçãozinho a bater tão rápido e depois lá pensamos um pouco mais seriamente na coisa e dizemos para nós mesmo: “o ser humano é sem duvida um ser fantástico!”

depois das medições normais, depois de nos ter dito que o bebe estava muito bem de saúde (e que ia ser um verdadeiro ginasta pois só dava pontapés e brincava com os dedos) perguntámos se havia a possibilidade de saber qual era o sexo do bebé, e porque não foi encontrado nenhuma pilinha a médica disse-nos que a probabilidade é de ser uma menina pois não dava para ver o pénis do garoto, e assim sendo ficámos os dois radiantes de felicidade pois ambos queremos uma rapariga… uma Catarina!

novas amizades

finalmente fiz amizades!

e porreiras, igualzinhas ao que temos em Portugal, onde nos mandam mensagens para combinar alguma coisa, que nos perguntam “como estás”, alguém com que passamos bons momentos!

bem, são dois rapazes Portugueses, eheheh – tinha de ser, que Dinamarqueses nem de longe são parecidos ;o)

o J. (fez 30 anos ontem!) já cá trabalha, tbm em programação como eu, e anda todo contente com as “garinas” aqui do sitio, o R. (28 a.) veio para cá tentar a sorte dele tal como eu e o J., por enquanto vai-se tambem apaixonando por todas as meninas (que são lindas) daqui, e anda agora a tentar encontrar emprego.

enfim, têm sido dias diferentes, para melhor!
ainda ontem enquanto esperava a S. foi com elas ao Clube Mambo e aprendi a dar um passitos de Salsa (que afinal nem é nada complicado) e deu para espairecer mais um dia de trabalho.

tem sido bom e é para continuar!

não podes ter sempre sorte…

a vida não seria a mesma se tivesses-mos sempre a maior sorte do mundo, sim Sorte, pois acredito plenamente em Sorte e é a única coisa em que acredito… “Não faças por ti e senta-te à espera que algo aconteça, haver se alguém o faz!?” sempre foi um lema de sobrevivência e para aqueles que lêem regularmente as nossas aventuras por fria, sabe que somos de “fazer” as coisas e de procurar a nossa “sorte” em vez de esperar que mais cedo ou mais tarde as coisas aconteçam…

mas, tal como vos estava a dizer, um vida sem dificuldades não tem muita “piada” e desta vez estamos perante, creio eu, a primeira dificuldade desde que cá chegámos, e o assunto é: Obras lá em casa.

tal como bom Português fui confiar na pessoa errada, uma pessoa que era namorado de uma conhecida/amiga da S. que também era romena e a S. até lhe conseguiu um emprego no restaurante onde trabalha, enfim… “amigos da onça”, pois tudo começou em Novembro de 2006 quando tínhamos comprado a nossa casa, e por necessitar de umas obras foi baratinha tal como vos já tinha mencionado, e esse tal individuo ficou de nos fazer as obras que necessitávamos prometendo coisas boas, e nem perguntando mais nada lá lhe demos metade do que nos pediu e lá começou a fazer alguma coisa…

…4 meses depois as obras ainda não tinham acabado (coisa que nos disse que demoraria no máximo dos máximos 2 semanas), ou não atende o telefone, ou diz que é no próximo fim de semana, ou arranja a desculpa mas esfarrapada que já tinha ouvidor, etc, etc, e à 2 fins de semana anteriores veio com 3 romenos (trabalhadores ilegais pois está claro) para tentar acabar pois a S. estava sempre a ligar-lhe com a “desculpa” de estar grávida e precisava da casa de banho (parte da casa onde se concentra 90% das obra).

depois de eu ver o que andavam a fazer mandei os parar pois estavam a afazer aquilo que eu próprio faria ou seja, tapar buracos! e não a arranjar o problema, no final do dia o outro lá apareceu e claro a discussão final era por-o na rua e assim foi, fazer mal, não! mais vale não fazer, com tanta coisa lá se esqueceu de uma máquina (máquina de vapor para tirar papel de parede, antiga mas funciona muito bem). Pedi-lhe 60% do valor que lhe dei se quiser ver a máquina de volta, até hoje ainda não ligou mais, creio com 99.9% que não vou ver mais o dinheiro e claro fiquei com mais uma máquina, enfim…

o problema ainda não é esse mas sim “e agora?” sem dinheiro para fazer as obras de novo e com a casa de banho no estado que está, o que é que vamos fazer?

Bathroomuma das soluções passa por um familiar (que não é parte da minha família mas sim da do meu irmão) que toda a sua vida a passou na construção, mas o senão é que mora em França (mais um imigrante) e em conversa com ele ontem não terá tempo para cá vir antes do final de Abril, mas fiquei de lhe enviar uma fotos por correio para ver se nos dá umas dicas de como fazer a coisa, ou se, espero eu, ele veja o que necessita, eu vou comprando as coisas e no final de Abril acabamos a coisa.

“a ver vamos, como diz o cego”

conclusão: em todos os países há um “FDP” e nós tivemos a “sorte” de o encontrar rapidinho 😦

Copenhaga – uma cidade cara!

Diz o Jornal Público que a EIU (Unidade de Investigação Económica) que realizou um estudo sobre o custo de vida em 153 cidades de todo o mundo, nós (Lisboetas) ficámos em 59º lugar e até servimos como base para o estudo, ora vejam:

“Lisboa é a grande cidade mais barata da Europa Ocidental, com um custo de vida inferior em 17 por cento ao de Nova Iorque, a cidade que serviu de referência (base 100) para o inquérito realizado pela unidade de informação (EIU) do grupo Economist.”

Ora bem, que os ordenados são de desatar a rir nesse lugar à beira mar plantado, todos sabíamos, mas o que não sabíamos é que vendo bem a qualidade de vida ficamos em 59º lugar… sinceramente estava à espera de um lugar acima de 130, mas eles lá devem de saber.

Em compensação aqui para o emigrante, logo à cabeça da lista vem uma cidade Escandinava, Oslo (capital da Noruega) e em 3º a capital dos Vikings e das histórias de encantar de HCAnderson, pois é! Copenhaga é a 3ª cidade mais cara do MUNDO (mais que Nova York, é de louvar!)

mas posso vos dizer em primeira mão que não se nota muito, devido ao elevado salário mínimo (1800 Euros) e algumas benesses que vamos tendo por aqui, e se nos restringirmos aos supermercados baratos, então há dinheiro “até vir a mulher da fava rica”, sendo que a contrapartida está estampada nos veículos automóveis, mais propriamente qualquer veiculo com rodas, pois até os carrinhos de bebes são caríssimos! 😦

“Oslo é a cidade mais cara do mundo, com preços 32 por cento acima dos de Nova Iorque, seguindo-se Paris (30 por cento mais), Copenhaga (26 por cento), Londres (25 por cento) e Tóquio (24 por cento mais cara do que Nova Iorque).”

Em suma, tenho-vos a dizer que fazem bem em mudar de PT para a 3ª cidade mais cara do mundo, pois, parecendo que não, aqui não custa tanto realizar certos sonhos, e até se torna agradável pois é com regularidade que temos coisas novas, ao contrario do normal “tuga” que chega ao inicio do mês já sem dinheiro pois o ordenado serve para pagar as contas.

17 semanas

e com isto tudo, já lá vão 17 semaninhas de vida, e depressa se chegará às 21, altura em que vamos fazer a 2ª ecografia afim de alem das preocupações “normais” ver o sexo do “bebe lindo”, eu queria que fosse uma Catarina, e S. diz que anda a sonhar com um Henrique… vamos lá ver então o que vai ser (eu cá faço figas para que seja o que quero, eheheh) 🙂

deixo-vos entretanto aqui uma foto da barriga da mãe tirada ontei numa visita a Malmo (Suécia) com os nossos convidados, o G. e a J. (mais fotos deles podem ser vistas no FlickR).

my son/daughter

Adeus visitas

hoje será o último dias das nossas tão fantásticas visitas, hoje vão se deliciar no museu da Carlsberg e seguir viajem de volta à Holanda, foram 5 dias engraçados onde apenas só ontem podemos andar todos juntos devido ao trabalho e às obras lá de casa, deixem-me dizer que são um casal muito simpático e sempre a rir, ele faz bolos, um deles queimado, porque, dizem eles, que estavam a aprender Polaco… tss tss, o que se chama “áquilo” hoje em dia 😉
Mas o 2º bolo estava delicioso, eram Tartes de maça 😛

ontem deu para ir à Suécia e divertir-nos um pouco os 4, e mostrar-lhe o pouco da cidade que conheço, fica a promessa que nos voltaremos a ver um dia deste, até lá.

Adeus.

on the beach