novamente, o dia 28


já aqui tinha vos falado da minha “sorte” ao dia 28, esta foi mais uma delas …

saío de manha como sempre e com popó novo toca a ir para o parque de estacionamento de Køge como faço sempre que tive o carro, mas com a coisa de assim que vi o comboio na estação a preocupação era ter de o apanhar (imaginem que às vezes não consigo apanhar uma coisa tão grande como um comboio!) 🙂 e ao contrário que tinha na carrinha, aos desligar o carro e abrir a porta não há qualquer sinal sonoro de aviso, ou seja, à tarde quando cheguei não havia bateria para arrancar com o carro…

…não faz mal, vou de autocarro e no dia seguinte compro os cabos de ligação directa e voilá. Eram 19.17h e não havia nem pessoas nem autocarros, apenas um que depois das 19h30 bati à porta e a condutora explicou-me que não havia autocarros por causa da greve (eles aqui conduzem 13 horas seguidas com intervalos muito pequenos e queixam-se de não terem responsabilidade se acontecer alguma coisa pois muitos quase que adormecem ao volante), ou seja… os 13km para casa, só a pé!

Ligo à S. a dizer o que se passa e se o vizinho passa por ali para fazer ligação directa. E assim foi, chego a casa, olho para o calendário e digo, boa, apesar do dia 28 não aconteceu nada de mal!

o pior ainda estava para vir 😦

no dia seguinte, 6ª feira, e pela 1ª vez em quase 8 meses combinei com a S. irmos “namorar” ou seja, sair à noite a um restaurante e ver um filme no cinema, como antigamente fazíamos… e assim foi.

às 17h quando saí, por causa do dia seguinte, a bateria não carregou o que era necessário com apenas a ajuda do alternador, ou seja, não dava para arrancar! Achei que devia de ir comprar uns cabos e ver as tintas para a casa tal com estava combinado com a S. vimos as tintas, o papel, comprámos os cabos, etc e voltámos ao carro, com um empurrão acabou por trabalhar logo (aqui é tudo plano, não há subidas e descidas, nestes casos é irritante isso!).

Como estavamos num parque de estacionamento lembrei-me, como aquele seria o carro dela depois de ter carta, olha, vem para aqui e como aqui estamos à vontade podes ver como é o carro…

B U R R O !!!

não vou especificar mais nada! a conclusão está na foto em baixo!

mulheres ao volante

alem do choro e do tremer, eu acalmeia-a da melhor maneira possível, e logo logo já não chorava mas culpava-se por não ter feito nada para evitar o sucedido, ficou “parva” e sem reflexos nem para travar o carro enquanto subia o passeio e acertou na parede e janelas de um escritório. enfim… espero que aprenda algo com isto.

mas depois disse-lhe, agora é tarde de mais para fazer alguma coisa, vai-te lembrando quando conduzires e que não voltes a ficar assim para teu bem e dos que estão no carro na altura, ela disse que sim, e mesmo triste fomos jantar e ver o cinema (Die Hard 4.0).

o que aconteceu não foi no dia 28, foi no dia seguinte, mas o problema foi no dia 28, se não tivesse ficado sem bateria nada disto teria acontecido… Não sou nem nunca fui supersticioso, mas a partir de agora, não ando de carro aos dias 28, nem nos meus ANOS!!!

🙂

One thought on “novamente, o dia 28

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s