é bom sermos Portugueses!


Em resposta ao “deixa pensar” da Finlandia sobre a ajuda externa.

Apresentado na Conferencia do Estoril de 2011

Para ler se gostam do videoO video em outros termos

6 thoughts on “é bom sermos Portugueses!

  1. Publiquei isso no facebook 🙂 . Nós somos, rectifico, fomos os maiores o resto é conversa. Muito bom, colocámos a nossa marca em quase todos os continentes e isso jamais poderá apagar. Viva Portugal, viva eu 🙂

  2. Infelizmente também está cheio de informação errada.

    [quote]As estórias que andamos a tentar impingir aos finlandeses…

    Os fenícios, os gregos, os romanos, os vândalos, os suevos e os visigodos passaram por cá e por inúmeros outros lugares.

    Se 20% da população luxemburguesa é de origem portuguesa, se Paris é a segunda cidade com maior número de portugueses, se existem mais portugueses fora do país do que em Portugal, isso é motivo de orgulho porque…?

    Nós não inventámos nem a “maritime compass” (seja lá isso o que for) nem sequer o astrolábio. A descoberta foi árabe e aperfeiçoada por um judeu espanhol chamado Abraão Zacuto.

    Também não inventámos o canhão de carregar pela culatra.

    A vela latina foi inventada pelos árabes.

    A salga do peixe é usada em diversas partes do mundo desde tempos imemoriais porque se tratava de uma forma eficaz de preservar o pescado.

    A tecnologia da Via Verde foi criada na Noruega.

    Se somos o país com menor número de patentes em todo o mundo isso é, na verdade, algo negativo.

    Arigato não é uma palavra de origem portuguesa. Tem origem numa outra palavra japonesa: arigatai.

    Existem palavras japonesas que tiveram origem no português? Sim, bastantes: “botan” (botão), ou “bôru” (bolo), por exemplo.

    O decreto de abolição da escravatura é de 1761 (e não de 1751) e aboliu a escravatura apenas em solo português. Em meados do século XIX ainda andávamos a assinar tratados em que prometíamos pôr fim ao tráfico de escravos a sul do Equador. Chegámos mesmo a permitir que os ingleses efectuassem buscas em navios de bandeira nacional.

    Praticamente todas as culturas com forte presença do porco na sua culinária comem “o porco todo” e têm pratos com as entranhas do bicho.

    Napoleão não falhou as três invasões de Portugal. A primeira foi bem sucedida e provocou a fuga da Corte para o Brasil.

    Nessa altura, Portugal nem sequer tinha um exército organizado para fazer face aos invasores.

    Foi apenas graças a uma força expedicionária britânica que os franceses retiraram do país. Essa mesma força repeliu outras duas invasões e ajudou a reorganizar o exército português cujas unidades eram, em muitos casos, enquadradas por oficiais britânicos.

    Se for verdade que o rendimento do rei de Portugal no séc. XVIII era 30 vezes superior ao do rei de Inglaterra isso apenas comprova a má gestão que foi feita da riqueza proveniente do Brasil enquanto a Inglaterra construía o seu império.

    O Hóquei em Patins é popular em vários países que têm partilhado títulos com a selecção portuguesa, nomeadamente a Itália, a Espanha e a Argentina.

    Temos a aliança mais antiga do mundo e levamo-la muito a sério. Os ingleses também.

    Após as invasões francesas tornaram-se numa força ocupante e tentaram assumir o controlo do país.

    No final do séc. XIX ameaçaram-nos com uma guerra se insistíssemos em unir as colónias de Angola e Moçambique.

    A letra do nosso hino nacional continua a incitar os portugueses a pegar em armas e marchar contra os canhões britânicos.

    Por mais que nos custe, não foi a manifestação dos portugueses que levou a Indonésia a abandonar Timor-Leste.

    Por fim, a campanha de recolha de roupas e cereais realizada em 1940 só aconteceu porque Salazar quis apoiar um aliado da Alemanha Nazi que lutava contra as tropas comunistas de Estaline.

    Esse aliado de Hitler era a Finlândia.

    Não sei o que é mais preocupante, se a quantidade de pessoas que acreditam nestes mitos – semelhantes aos que pululavam nos livros de história do Estado Novo – se o facto de ser assinado por um organismo público, a Câmara de Cascais.[/quote]

  3. Alexandre, estou a pensar ir com a minha companheira para um país da Escandinávia e andamos em fase de escolha de qual o país… (já sei que a Dinamarca não é uma escandinava pura mas… no nosso imaginário funciona!) aconselhas-nos a ir para Copenhaga em vez de Oslo ou Estocolmo? Se sim, porquê?
    Obrigado, abraço, V.

  4. Eu e meu marido estamos pretendendo emigrar, e a Dinamarca é nosso alvo.
    Somos brasileiros, embora eu ja tenha a nacioanlidade Portuguesa e meu filho de 5 anos, estamos a espera da nacionalidade de meu marido, gostaríamos de saber se podemos ir mesmo sem a nacioanlidade de meu marido e se ha alguma diferença, e também, onde é mais fácil começar, onde acha se preços mais em conta se é q ai tem…
    Sem amis agradeço desde já a atenção despensada …..

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s